26 setembro, 2006

Percepção subliminar II


Sob quais circunstâncias as mensagens fora de nossa consciência afetam nosso comportamento?
A idéia da existência de liminares absolutos implica que certos acontecimentos do mudo exterior ocorrem subliminarmente – sem que os percebamos conscientemente. Será que as mensagens subliminares usadas em propagandas e fitas de auto-ajuda podem mudar nosso comportamento? Durante décadas circulou uma história de que as vendas de refrigerantes e pipoca cresceram notavelmente quando um cinema em Nova Jersey adicionou as mensagens “Beba Coca – Cola” e “Coma pipoca” em meio às imagens de um filme, mas tudo não passou de boataria.
De maneira similar, fitas de áudio com mensagens subliminares de auto-ajuda freqüentemente prometem mais do que oferecem. Durante um estudo, voluntário usaram tais fitas por várias semanas. Cerca de metade deles disse ter melhorado após ouvir-las, mas testes objetivos não detectaram nenhuma mudança mensurável. Além do mais, a melhora percebida tinha relação com a etiqueta da fita que com seu conteúdo subliminar: cerca da metade das pessoas que recebem a fita “Melhore sua memória” disse que sua memória havia melhorado, embora muitos deles tivessem recebido na verdade uma fita para aumentar a auto-estima, e cerca de um terço das que ouviram fitas com a etiqueta “Aumente sua auto-estima”, disse que sua auto – estima havia aumentado, apesar de muitas terem na verdade ouvido fitas destinadas a melhorar a memória (Greenwald et al., 1991).
Contudo, há algumas evidências de que, sob condições cuidadosamente controladas, as pessoas podem ser influenciadas por informações fora de sua consciência. Em um estudo, por exemplo, foi mostrada a um grupo de pessoas uma lista de palavras relacionada a competição, enquanto um segundo grupo observa uma lista de palavras neutras (Nunberg, 1988). Mais tarde ao participar de um jogo, as pessoas a que tinha sido mostrada a lista subliminar de palavras com sugestão de competitividade tornaram – se especialmente competitivas. Em outro estudo, um grupo foi subliminarmente exposto a palavras que sugiram honestidade (uma característica positiva), enquanto outro foi subliminarmente exposto a palavras relativas à honestidade (uma característica negativa). Subseqüentemente, todos os participantes leram uma descrição de uma mulher cujo comportamento podia ser visto como honesto ou hostil.
Quando se pediu que estimassem as características da mulher, as pessoas que tinham sido subliminarmente expostas a palavras relacionadas a “honestidade” classificaram –na como honesta, e aquelas que haviam sido subliminarmente expostas a palavras ligadas a “hostilidade” julgaram – na hostil (Erdley e D’Agostinho).
Estudos como esse indicam que em um cenário de laboratório, as pessoas podem processar as informações que ficam fora de sua consciência e reagir a elas. Mas permanece a questão de que não há nenhuma evidência científica independente de que mensagens subliminares em propaganda ou fitas de auto-ajuda tenham um efeito considerável (Beatly e Hawkins, 1989; Greenwald et al., 1991, T. G. Russell, Rowe e Smouse, 1991; Smith e Rogers, 1994; Undewood, 1994). As teorias sobre a percepção extra-sensorial também não foram confirmadas por pesquisa científica.
__________________
Fonte:
MORRIS, Charles G. MAISTO, Albert. (2004) Introdução à psicologia. Trad. de Ludmilla Lima e Maria Sobreira D. Baptista. São Paulo: Prentice Hall, p. 84.

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá Jarbas

Sou Ludmilla Lima a tradutora do livro que vc cita no seu blog. Numa recente pesquisa na web con meu nome encontrei seu site.

Muito obrigada por citar o nome da tradutora.

Até breve

Ludmilla

Anônimo disse...

Perdao pela falta de acentos e porque o meu "com" saiu com N. Moro em Buenos Aires e faz tempo que nao tenho que escrever "coM", entao meu dedo escapou... :) Tchau!

Jarbas disse...

Olá Ludmilla,

Nossa!!! A satisfação é toda minha em receber a visita da tradutora do manual Introdução à Psicologia em meu blog. Fiquei feliz e surpreso, afinal as vezes esqueço-me que tais diários podem ser acessados mundialmente e, portanto, visto por todos..., vamos manter contato.

Um fraterno abraço, Jarbas Felicio.

Anônimo disse...

Yo!